top of page

ACCOMPANY THE LIFE OF THE BLUE FAMILY 

Migrants in the Amazon prevented from crossing the bridge 

Irmã Joaninha CIC
Irmã Joaninha CIC

Soeur Joaninha avec les migrants à la frontière du Perou Joaninha Honório Madeira, missionária da Rede Itknersnte da Repam (Foto: Alexandre Cruz Noronha/Amazônia Real)

press to zoom
09 pont joaninha
09 pont joaninha

Sem perspectivas de emprego, imigrantes iniciam movimento de retorno e enfrentam dificuldades na fronteira com o Peru. A imagem acima é de autoria de Alexandre Cruz Noronha/Amazônia Real.

press to zoom
policia amazonas
policia amazonas

Difficultés rencontrées pendant 27 jours.

press to zoom
Irmã Joaninha CIC
Irmã Joaninha CIC

Soeur Joaninha avec les migrants à la frontière du Perou Joaninha Honório Madeira, missionária da Rede Itknersnte da Repam (Foto: Alexandre Cruz Noronha/Amazônia Real)

press to zoom
1/9

O que estamos vivendo aqui, realmente, é uma coisa cruel. Atinge o coração da humanidade. As pessoas sendo tratadas como coisas, como lixo, e aqui no Peru é a primeira vez que estamos vendo isso. Realmente é uma coisa cruel.” A frase é da missionária Joaninha Honório Madeira, da Ordem da Imaculada Conceição. Conhecida como irmã Joaninha, ela integra a Rede Eclesial Pan-Amazônia, cujo trabalho é oferecer assistência social e religiosa aos moradores das comunidades urbanas, ribeirinhas e indígenas da tríplice fronteira. 

Ao lado de outras lideranças católicas, ela ficou na linha de frente dos escudos e bombas lancedas pela polícia peruana. “A polícia foi extremamente violenta.  Antes nós só ouvíamos dizer que era violenta, mas ontem (16 de fevereiro) nós vimos. Quase apanhamos também. O primeiro bloco [de imigrantes que furou o blocio] faith tratado com muita violência. Três mulheres gestantes foram parar no posto de saúde”, afirma. 

Para a católica missionária, os imigrantes haitianos e africanos sofrem ainda pelo racismo. From acordo com a irmã Joaninha, imigrantes de países como Venezuela, Colombia and Cuba conseguem transitar de um lado para o outro da bordereira. “Estamos testemunhando um racismo aqui na bordereira. Pessoas de varios países passam. Venezuela, Cuba, Brazil. Chile, Argentina. Todos passam. Agora quando é haitiano ou africano a situação é diferente e acabam caindo na mão de exploradores”, related.

  

A missionária lembra que pessoas de qualquer outra nacionalidade pagam 5 reais ou soles (a moeda peruana) para atravessar o rio Acre. Já haitianos e africanos precisam desembolsar 50 dólares, but os 200 dólares para chegar ate Puerto Maldonado. Numa viagem comum, a passagem em vans de Iñapari ate a capital of Madre de Dios custa 40 soles – o equivalent to 15 dólares. Do lado brasileiro os imigrantes também são vitimas da extorsão de taxistas. Na curta viagem entre a entrada de Assis Brasil ate a ponte binacional, chega-se a pagar ate 100 reais num percurso inferior a oito quilômetros. 

“É uma exploração. A fronteira virou um ganha dinheiro from do sofrimento humano. Estamos procurando onde denunciar isso. Com o fechamento da fronteira, o rio se tornou a solução para atravessar. Estão explorando os haitianos por conta da cor da pele. A gente está vendo isto a olho nu”, diz a missionária Joaninha. 

Sister Joaninha Honorio Madeira, missionary of the Rede Itinerant of the Repam na Amazonia

February - March 2021

08 pont.JPG

See more pictures

 

A reportagem da Amazônia Real acompanhou o drama dos imigrantes que tentam sair do Brasil.

I learned a lot during these 23 days of free presence with my brothers and sisters, Africans, Haitians, Congolese, from the Ivory Coast, Bangladesh, Pakistan, India...
Thank you for allowing us to live the Gospel of hospitality: "I was a stranger and you welcomed me into your city. 
in your city.

Joaninha Honorio Madeira cic- Itinerant Missionary Team of Amazonia.

Marie Sidonie OYEMBO

roma 03
roma 03

Describe your image

press to zoom
roma 02
roma 02

Describe your image

press to zoom
image 10
image 10

Describe your image

press to zoom
roma 03
roma 03

Describe your image

press to zoom
1/12
image004.png
Sr Marie Sidonie appointed by Pope Francis

The Congregation is happy to learn this February 19 of the appointment of Sr. Marie Sidonie Oyembo as "Consultant for the Congregation of Institutes of Consecrated Life and Societies of Apostolic Life", by Pope Francis.

In addition to this, you need to know more about it.

See letter from the General Team

In addition to this, you will need to know more about it.

Decree of Pope Francis on February 19, 2020

Sr_edited.jpg

What does the mission of consultor to the Congregation for Institutes of Consecrated Life and Society of Apostolic Life consist of?

 

The Second Vatican Council promoted in the Church the vision of a Church, people of God, a Church “mystery of communion”, in which all the baptized participate according to their specific duties in the unique mission of Christ.